GEOGRAPHICAL INDICATION GRAPES FROM: THE CHALLENGES POST-GRANTING REGISTRATION

Marcos Vinicius Nascimento, Mauricio de Oliveira Santos, Bruna Homem de Souza Osman, Shirley Lins Silva, Marcelo Santana Silva, José Roberto Pereira Dias

Resumo


Paraná is a state with many attractions and natural riches that results in an environment conducive to constant innovations, and protecting the knowledge and traditional knowledge of this people is more than necessary, it is a priority. An example of the wealth of this state are the grapes of Marialva, which due to the combination of climatic conditions, the rich soil and the know-how of local farmers, gave the region national recognition and reputation for the quality of the fine table grapes produced. Thus, in 2017, the registration of Geographical Indication (GI) Grapes Finas de Mesa de Marialva was granted by the National Institute of Industrial Property. However, after five years of this registration, this GI still has not generated all the known benefits resulting from this protection. In this sense, the objective of this article is to identify the main challenges faced by the applicant association of the IG Uvas Finas de Mesa de Marialva after the registration was granted in terms of its internal and external management. This is an applied research, with an exploratory character and a qualitative approach. As for the technical procedures, it is configured as bibliographical, documental and field. Primary data were obtained through a technical visit and an interview with the CEO of the association requesting the GI. The results indicate that the management of the GI Uvas Finas de Mesa de Marialva faces several challenges, requiring the adoption of measures in order to highlight the product to the consumer and, consequently, to enable its effective commercialization. It is concluded that although there are no doubts about the potential social, environmental and economic benefits related to GIs, proving their ability to generate differentiation to the product and add value to the sale price with a consequent increase in income for the producer, these are far from being natural and automatic in the GA under study.


Palavras-chave


Geographical Indication; Grapes from Marialva; Post-grant.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO NORTE NOROESTE PARANAENSE DOS FRUTICULTORES. Relatório - 2023. Os Desafios da Pós-Concessão do Registro: Pós IG. Marialva: 2023.

BOECHAT, A. M. da F.; ALVES, Y. B.O Uso da Indicação Geográfica para o Desenvolvimento Regional: O Caso da Carne do Pampa Gaúcho. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA CESUMAR, 7., 2011.

BRUCH, K. L. et al. Indicação Geográfica de Produtos Agropecuários: Aspectos Legais, importância histórica e atual. In: PIMENAL, L. O. (Org.). Curso de Propriedade Intelectual & Inovação no Agronegócio: Módulo II, indicação geográfica. Brasília: MAPA; Florianópolis: SeaD/UFSC/Fapeu, 2009.

BRUCH, K. L. Signos distintivos de origem: entre o velho e novo mundo vitivinícola. 2011. 277f. Tese (Doutorado em Direito) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

CARLS, S.; LOCATELLI, L.; PIMENTEL, L. O. Signos Distintivos e Potenciais Benefícios ao Desenvolvimento Territorial. In: DALABRIDA, V. R. (Org). Indicação Geográfica e Desenvolvimento Territorial: reflexões sobre o tema e potencialidades no território de Santa Catarina. São Paulo: LiberArs, 2015.

CERDAN, C., BRUCH, K., VITROLLES, D. Gestão e controle pós-reconhecimento das Indicações Geográficas. In : Curso de propriedade intelectual e inovação no agronegócio : módulo II. Indicação geográfica. Brasília: MAPA, 2010.

CERDAN, C. et al. Indicação Geográfica de Produtos Agropecuários: Importância Histórica e Atual. In: CERDAN, C.; BRUCH, K. L.; SILVA, A. L.; PIMENTEL, L. O. (Org.). Curso de Propriedade Intelectual & Inovação no Agronegócio. Brasília: MAPA, 2010.

CERDAN, C. Indicações geográficas e estratégias de desenvolvimento territorial. In: NIERDELE, P. A. (Org.). Indicações geográficas: qualidade e origem nos mercados alimentares. Porto Alegre: UFRGS, 2013.

DATASEBRAE. Indicações Geográfica Brasileiras - IG Marialva, 2018. Disponível em: https://datasebrae.com.br/ig-marialva/. Acesso em: 25 mar. 2023.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidade: Marialva-Pr. 2015. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/. Acesso em: 25 mar. 2023.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Indicação Geográfica no Brasil. 2023. Disponível em: http://manualdemarcas.inpi.gov.br/projects/manual-de-indicacoes-geograficas/wiki/02_Indica%C3%A7%C3%A3o_Geogr%C3%A1fica_e_esp%C3%A9cies_de_registro. Acesso em: 08 mar. 2023.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA. Plataforma de Dados de Indicações Geográficas Brasileiras e Produtos Típicos Potenciais. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/sustentabilidade/indicacao-geografica/dados-sobre-igs-registradas-e-produtos-tipicos-potenciais/plataforma-de-dados. Acesso em: 14 mar. 2023.

NASCIMENTO, J. S.; NUNES, G. S.; FIALHO, A. S.; BANDEIRA, M. Da G. Indicações Geográficas: Agregação de valor aos produtos brasileiros e maranhenses. Revista GEINTEC, v. 2, n. 4, 2012.

NIEDERLE, P. A. Compromissos para Qualidade: projetos de indicação geográfica para vinhos no Brasil e na França. Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade. UFRRJ. Rio de Janeiro. 2011.

PELLIN, V.; VIEIRA, A. C. P. Vantagens e desafios para as indicações geográficas do setor vitivinícola no Brasil: Uma visão pós concessão registro pelo INPI. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL, 54. Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso - Maceió/AL. 2016.

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARIALVA. Abertura da colheita da uva acontece hoje em Marialva. 2018. Disponível em: https://www.marialva.pr.gov.br//index.php?sessao=b054603368vfb0&id=1375819. Acesso em: 13 abr. 2023.

SANTOS, I. B. et al. Geographical Indication as an identity construction resource: Analysis of the digital discourse of the indication of source southern Bahia in the consolidation of a new territorial identity. Revista INGI, v. 3, n. 3, 2019.

SEBRAE NACIONAL. As IGs. 2017. Disponível em: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/sebraeaz/indicacoes-geograficas-brasileiras,8a47d106b5562510VgnVCM1000004c00210aRCRD. Acesso em: 08 mar. 2023.

SEBRAE PARANÁ. Origens Paraná: Marialva - Uvas finas de mesa. Disponível em: https://www.sebraepr.com.br/artigos/origens-parana-marialva-uvas-finas-de-mesa/. Acesso em: 08 mar. 2017.

SPETH, C. A Análise SWOT: Uma ferramenta chave para o desenvolvimento de estratégias empresariais. Ed. 50Minutos, 2023.

VALENTE, M. E. R, PEREZ, R., RAMOS, A. M., CHAVES, J. B. PAES. Indicação Geográfica de alimentos e bebidas no Brasil e na União Européia. Ciência Rural, v.42, n.3, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2023 Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação. A Revista INGI está licenciada com a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

ISSN: 2594-8288

qualis B3

Com DOI por artigo.

Esta Revista é uma publicação da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - API - www.api.org.br 

A REVISTA INGI está cadastrada nos sistemas: