Renda Irlandesa: Indicação Geográfica como Fator Potencializador para Atração Turística no Municipio de Divina Pastora - SE

Cleide Mara Barbosa da Cruz, Nadja Rosele Alves Batista, Cleo Clayton Santos Silva

Resumo


A renda irlandesa representa um dos patrimônios imateriais do Brasil, na qual se perpetua a construção dos conhecimentos e práticas sobre a produção das rendeiras assegurando a existência desse importante patrimônio. O centro de desenvolvimento dessa renda localiza-se na cidade de Divina Pastora (SE), região turística do polo dos tabuleiros, que ficou conhecida pela peregrinação ao Santuário de Divina Pastora e pela produção de renda irlandesa, à qual é considerada um dos produtos artesanais mais requintados e remotos de Sergipe. Sendo um produto do ecoturismo, no entanto reconhece-se a necessidade de um suporte maior por parte das instituições não governamentais e governamentais, bem como das associações para que seja possível promover o crescimento local e turístico do município e do estado.


Palavras-chave


Divina Pastora; Indicação Geográfica; Renda Irlandesa.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, J. L. A produção de renda irlandesa e seu aprendizado em Campos dos Goytacazes/RJ. Dissertação de Mestrado, UNIRIO, 2011.

BIANCHINI, I. M. E.; RUSSO, S. L. Propriedade intelectual e desenvolvimento regional: artesanato com indicação geográfica no Brasil. Revista INGI, 2019.

FILHO, E. S. A. Estratégias da ASDEREN para o desenvolvimento da renda irlandesa em Divina Pastora sob a perspectiva da estratégia como prática social. Trabalho de Conclusão de Curso, UFS, 2018.

MARTINS, E. S. M.; ALMEIDA, M. R. P. Ecoturismo, qualidade de vida e artesanato de renda irlandesa em Sergipe. ComCiência, 2010.

MELLO, J. C. Na trilha do INPI: Registro de indicação geográfica (IG) e inovação no artesanato brasileiro. Ideias e Inovação, 2015.

MELLO, J. C.; SILVA, E. P. S. Artesanato da renda irlandesa em Sergipe: histórias de vida, histórias de ofício. Revista História, Histórias, 2014.

OLIVEIRA, H. S. Fios, lacês e INPI: histórias de vida e indicação geográfica (IG) na renda irlandesa em divina Pastora (SE) (2000-2017). Dissertação de Mestrado, UFAL, 2018.

Pereira, M. G., & Galvão, T. F. (2014). Etapas de busca e seleção de artigos em revisões sistemáticas da literatura. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 23, 369-371.

SANTOS, J. V.; BEZERRA, R. F. Atuação do PROMOART em terras sergipanas: polos Divina Pastora e Poço Redondo. Revista de Extensão Universitária da UFS, 2013.

SANTOS, A. A.; DE-BORTOLI, R. Impactos da indicação geográfica sob a ótica do artesão. Revista INGI, 2018.

SILVA, E. P. S. E como salvaguardar esse patrimônio? A arte da produção de renda irlandesa nos cenários históricos de Divina Pastora-Se e Laranjeiras-Se. Boletim Historiar, 2016.

SILVEIRA, R. Z.; CAMPOS, A. C. B.; MIGUEL, M. C. Finos fios, renda de agulha... Uma alternativa de trabalho, múltiplos olhares para a qualidade. Editora Unjuí, Desenvolvimento em questão, 2019.

SOUSA, M. E. F. A. A potencialização da renda irlandesa como ferramenta para o desenvolvimento local do Município de Divina Pastora em Sergipe. Artigo de Mestrado, UFS, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação. A Revista INGI está licenciada com a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

ISSN: 2594-8288

Esta Revista é uma publicação da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - API - www.api.org.br