Dependência Tecno-Econômica de Derivados do Petróleo

Lenise Souza Cardoso de Andrade, Rafael Ferreira Mariano, José Carlos dos Santos, Zulmara Virginia de Carvalho

Resumo


A dinâmica econômica de uma nação é reflexo das decisões sobre o que, como e para quem produzir, diante da escassez de insumos de produção. A gestão da escassez gravita tanto na tangibilidade dos recursos naturais quanto nas competências e habilidades de processos de produção. Entre as variáveis para tomada de decisões de como otimizar os recursos disponíveis, está a questão de tecnologia exógena ou endógena para a estratégia de crescimento econômico. É dentro desse contexto que está o esforço dessa pesquisa, centrando o olhar para a indústria do petróleo. Com o objetivo de analisar perspectivas econômicas de apropriação tecnológica do refino do produto, pesquisas exploratórias sobre o cenário científico-tecnológico e mercadológico do setor foram feitas. A análise dos resultados evidencia que a dependência tecnológica brasileira de derivados de petróleo pode configurar-se como demanda para um modelo de crescimento econômico endógeno.


Palavras-chave


Crescimento Econômico Endógeno; Complexidade Econômica; Derivados de Petróleo; Petróleo

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS. Anuário Estatístico 2018. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2019.

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS. Investimentos em PD&I. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2019.

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS. Dados estatísticos. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2019.

ARRAES, R. A.; TELES, V. K. Endogeneidade versus exogeneidade do crescimento econômico: uma análise comparativa entre Nordeste, Brasil e países selecionados. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2019.

BLOUNT, J. ANÁLISE-Gargalo no refino torna Brasil dependente de combustíveis de EUA e Índia. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2019.

BORBA, R. C.; SILVA NETO, R. E.; OLIVEIRA, V. M. A influência do petróleo na dinâmica econômica das cidades: um estudo comparativo entre Macaé (Brasil) e Aberdeen (Reino Unido). Disponível em: . Acesso em: 05 jul. 2019.

DUTRA, L. E. D. Evolução recente do mercado internacional de petróleo: um caso clássico da instabilidade dos oligopólios. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2019.

DIAS, J. L. M.; QUAGLINO, M. A.; A questão do petróleo no Brasil: uma história da PETROBRAS. Rio de Janeiro: CPDOC: PETROBRAS, 1993. 211p.

ESPACENET. Patent search: Result list. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2019.

GALA, P. Como medir complexidade econômica? Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2019.

GAUTO, M. Dez maiores refinadores de petróleo. Disponível em: . Acesso em: 01 ago. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. PePI - Pesquisa em Propriedade Industrial. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Proteção da Criatividade e Inovação: Entendendo a Propriedade Intelectual. Disponível em: . Acesso em: 08 jul. 2019.

NASCIMENTO, L. Cade aprova venda de oito refinarias pela Petrobras. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2019.

OBSERVATORY OF ECONOMIC COMPLEXITY (OEC). Refined Petroleum. Disponível em: . Acesso em: 05 jul. 2019.

PAMPLONA, N. Petrobras conclui venda da refinaria de Pasadena à Chevron: Estatal diz que recebeu o pagamento de US$ 467 milhões (R$ 1,8 bilhão). 2019. Disponível em: . Acesso em: 28 jun. 2019.

PEDRONI, G. A. A importância da propriedade intelectual para o desenvolvimento de um país. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2019.

PETRÓLEO BRUTO. Disponível em: . Acesso em: 08 jul. 2019.

PIQUET, R.; TAVARES, E.; PESSÔA, J. M. Emprego no setor petrolífero: dinâmica econômica e trabalho no Norte Fluminense. Cadernos Metrópole., [S.l.], v. 19, n. 38, p. 201-224, abr. 2017. ISSN 2236-9996. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2019.

REFINARIAS GARANTEM MAIOR PARTE DO LUCRO DA PETROBRAS. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2019.

ROCA, Z. Fatores Endógenos e Exógenos no Desenvolvimento Demográfico: Em busca da teoria da transição demográfica dependente. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2019.

SILVA, J. A. S. Turismo, Crescimento e Desenvolvimento: Uma análise urbano-regional baseada em cluster. 2019. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2019.

SOLOW, R. A. A contribution of the theory of economic growth. Quartely Journal of Economics, v. 70, p. 65-94, 1956.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS (UFSCAR). Mercantilismo. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2019.

VASCONCELOS, T. C. S. O Índice de Complexidade Econômica: Uma revisão teórica e aplicações ao caso brasileiro. 2013. 49 f. Tese (Doutorado) - Curso de Ciências Econômicas, Universidade de Brasília, BrasÍlia-df, 2013. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2019

VIANA, G.; LIMA, J. F. Capital humano e crescimento econômico. Interações (Campo Grande), Campo Grande , v. 11, n. 2, p. 137-148, Dez. 2010 . Disponível em: . Acesso em: 06 jul. 2019.

YOKOGAWA NA INDÚSTRIA DE REFINARIA. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação. A Revista INGI está licenciada com a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

ISSN: 2594-8288

Esta Revista é uma publicação da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - API - www.api.org.br