Inovação e Modelagem de Agronegócio no Setor de Hortifrútis em Aracaju-SE

Arnon Sillas Novais Souza, Francisco Sandro Rodrigues Holanda

Resumo


O agronegócio tem se popularizado de forma crescente, assim como fortemente associado ao empreendedorismo, e é equivocadamente compreendido pela população, mesmo sendo o mais importante setor da economia nacional. O objetivo desse trabalho é apresentar uma inovação em agronegócios relacionados a hortifrútis, a partir da análise das demandas dos consumidores baseado no Mapa de Empatia. Este questionário permite levantar os problemas, os anseios, pensamentos e medos do cliente em relação aos meios de comercialização dos hortifrútis, quantidade e qualidade das hortaliças e frutas, percebidos por eles, além de aspectos e impactos relacionados à saúde, de acordo com o padrão da Organização Mundial de Saúde (OMS). Alguns conceitos são fundamentais para a discussão em questão, tais como o de empreendedorismo e sua relação com a inovação; de agronegócio e representatividade no Brasil; de inovação e seus diferentes tipos. Assim como os fatores-chave a serem observados para sua efetivação e também como forma de promover a disrupção dentro e fora do ambiente empresarial. Esse trabalho envolve pesquisa aplicada se utilizando de questionários como instrumento de coleta de dados, aplicados via GoogleTM Forms, a potenciais clientes do município de Aracaju, em Sergipe. As opiniões dos entrevistados foram fundamentais para direcionamento de modelos de agronegócio que atendam às suas necessidades, promovendo um aumento no consumo de hortifrútis e que também estimule a competitividade local. Propõe-se um modelo de agronegócio por assinatura, através de aplicativo, facilitando a compra, otimizando o tempo do consumidor e, ainda, oferecendo informações importantes que garantirão a qualidade do produto adquirido.


Palavras-chave


Negócios; Empreender; Hortaliças; Inovar

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, N. B.; WEDEKIN, I.; PINAZZA, L. Complexo agroindustrial - O "Agribusiness Brasileiro". São Paulo: Agroceres, 238p. 1990.

BACHA, C. J. C. Economia e Política Agrícola no Brasil. São Paulo, SP: Atlas, 226p. 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2017 Saúde Suplementar: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Saúde Suplementar. – Brasília: Ministério da Saúde, 2018. 140p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2017_saude_suplementar.pdf. Acesso em: abr/2019.

CAMARGO FILHO, W. P.; CAMARGO, F. P. A quick review of the production and commercialization of the main vegetables in Brazil and the world from 1970 to 2015. Horticultura Brasileira 35: p.160-166, 2017.

CHIAVENATO, I. Empreendedorismo: dando asas ao espírito empreendedor: empreendedorismo e viabilidade de novas. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2007, 332p.

COLLINSDICTIONARY. Definition of agribusiness. 2019. Disponível em: https://www.collinsdictionary.com/dictionary/english/agribusiness. Acesso em: abr/2019.

COLLINSDICTIONARY. Definition of farm. 2019. Disponível em: https://www.collinsdictionary.com/dictionary/english/farm. Acesso em: abr/2019.

DRUKER, P. F. Inovação e espírito empreendedor. Editora Pioneira, 1987.

FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 3. ed. Viçosa, MG: UFV, p.13-157, 2007.

HISRICH, R. D.; PETERS, M. P. Empreendedorismo. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004, 592p.

HITT, M. A. Administração estratégica: competitividade e globalização. Michael A. Hitt, R. Duane Ireland, Robert E. Hoskisson. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

KURATKO, D. F. Empreendedorismo: teoria, processo, prática. 10. ed. São Paulo, SP: Cengage Learning, 488p. 2016.

MACÊDO, M. M. C. Metodologia científica aplicada. 2. ed. Brasília, DF: Scala Gráfica e Editora, 87p. 2009.

NUNES, D. B. Compreendendo os conceitos de empatia a partir de uma experiência pragmática em Competência em Informação (Coinfo): o Programa Jovens Talentos para a Ciência da Universidade de Brasília – UnB. In: Seminario hispano-brasileño de investigación en información, documentación y sociedad, 7., 2018, Madrid; Muraia. Anais eletrônicos [...]. Madrid: Universidad Complutense de Madrid, Universidad de Murcia, Universidade de Brasília, 2018.

OSTERWALDER, A.; PIGNEUR, Y. Business Model Generation - Inovação em modelos de negócios: Um manual para visionários, inovadores e revolucionários. 1. ed. Rio de Janeiro, RJ: Alta Books, 300p. 2011.

PACHECO, A. M; SANTOS, I. R. C; HAMZÉ, A. L; MARIANO, R. S. G; SILVA, T. F; ZAPPA, V. A importância do agronegócio para o Brasil: revisão de literatura. Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária. Ano X, n.19, jul., 2012.

RIES, E. A Startup Enxuta: como os empreendedores atuais utilizam a inovação contínua para criar empresas extremamente bem-sucedidas. São Paulo, SP: Lua de Papel, 224p. 2012.

RODRIGUES, R. G.; CELIA, A. P.; MATTOS, P. de; PADILHA, A. C. M. Convergência de elementos empreendedores no agronegócio: uma análise dos produtores de orgânicos da feira agroecológica de porto alegre/RS. Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. Campo Grande, MS: 20p. 2009.

SANTOS, E. A.; SILVA, C. E. Os Modelos de plano de negócios e sua relevância para sustentabilidade das micro e pequenas empresas. Revista Brasileira de Administração Científica, Aquidabã, SE: v.3, n.1, p.37‐62, 2012.

THIOLLENT, M. Metodologia de Pesquisa-ação. São Paulo: Saraiva. 2009.

VALDRICH, T.; CÂNDIDO, A. C. Mapa de empatia como proposta de instrumento em estudos de usuários: aplicaçâo realizada na biblioteca pública de Santa Catarina. Revista ACB: Biblioteconomia. Florianópolis, SC: v.23, n.1, p.107-124, dez/mar, 2018.

OMS. A OMS e FAO anunciam estratégia integrada para promover um maior consumo de frutas e verduras. Organização Mundial da Saúde. Press Information. 2002. Disponível em: https://www.who.int/dietphysicalactivity/publications/releases/pr84/en/. Acesso em: abr/2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação. A Revista INGI está licenciada com a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

ISSN: 2594-8288

Esta Revista é uma publicação da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - API - www.api.org.br