CHALLENGES FOR IMPLEMENTATION OF LAW ON THE ACCESS TO THE GENETIC PATRIMONY AND TRADITIONAL KNOWLEDGE ASSOCIATED IN FEDERAL INSTITUTES OF HIGHER EDUCATION

Amanda Lins Cavalcanti Galindo, Vivianni Marques Leite dos Santos

Resumo


No Brasil, pela extensa amplitude de patrimônio genético e conhecimento tradicional associado, a lei de acesso a esse material torna-se de suma importância para desenvolvimento sustentável. Além disso, para sua eficiência e eficácia faz-se necessária sua adequada implementação. Considerando que, no Brasil, o desenvolvimento em pesquisa e inovação está associado, majoritariamente, às universidades ou institutos de pesquisa, este trabalho busca, através de pesquisa bibliográfica e estudo de caso, identificar os desafios para efetivação da lei a partir das mudanças que a mesma trouxe, no âmbito das Instituições de Ensino Superior (IES) Públicas Federais, utilizando a Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) como parâmetro. Como principais desafios, identifica-se a dificuldade na definição do que de fato se adequa aos conceitos trazidos pela lei, bem como a incipiente capacitação dos pesquisadores e a insuficiência na divulgação de material bibliográfico para elucidação dos conceitos associados à temática. Destarte, percebe-se a necessidade de alternativas para minimizar essas questões, como o auxílio tanto do poder público quanto do trabalho conjunto com canais midiáticos para ampla divulgação das informações basilares.

Palavras-chave


Biodiversidade; Conhecimento Associado; Patrimônio Genético; Propriedade Intelectual; Brasil

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decreto nº 8.772, de 11 de maio de 2016. Regulamenta a Lei nº 13.123, de 20 de maio de 2015, que dispõe sobre o acesso ao patrimônio genético, sobre a proteção e o acesso ao conhecimento tradicional associado e sobre a repartição de benefícios para conservação e uso sustentável da biodiversidade. Brasília, 11 de maio de 2016.

______. Lei nº 13.123, de 20 de maio de 2015. Regulamenta o inciso II do § 1o e o § 4o do art. 225 da Constituição Federal, o Artigo 1, a alínea j do Artigo 8, a alínea c do Artigo 10, o Artigo 15 e os §§ 3o e 4o do Artigo 16 da Convenção sobre Diversidade Biológica, promulgada pelo Decreto no 2.519, de 16 de março de 1998; dispõe sobre o acesso ao patrimônio genético, sobre a proteção e o acesso ao conhecimento tradicional associado e sobre a repartição de benefícios para conservação e uso sustentável da biodiversidade; revoga a Medida Provisória no 2.186-16, de 23 de agosto de 2001; e dá outras providências. Brasília, 20 de maio de 2015.

BRITO, A. C. L.; POZZETTI, V. C. Biodiversidade, conhecimentos tradicionais associados e repartição de benefícios. Derecho y cambio social. ISSN: 2224-4131, 2017. Disponível em . Acesso em 19/11/2018.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Parecer ao projeto de lei nº 7735, de 2014. Regulamenta o inciso II do §1º e o §4º do art. 225 da Constituição; os arts. 1, 8, “j”, 10, “c”, 15 e 16, §§ 3 e 4 da Convenção sobre Diversidade Biológica, promulgada pelo Decreto nº 2.519, de 16 de março de 1998; dispõe sobre o acesso ao patrimônio genético; sobre a proteção e o acesso ao conhecimento tradicional associado; sobre a repartição de benefícios para conservação e uso sustentável da biodiversidade; e dá outras providências. Plenário da Câmara, 04 de fevereiro de 2015.

CECHIN, A.; BARRETO, C. G. Pesquisa científica, conhecimento tradicional e indústria: perspectivas e limites do marco legal da biodiversidade. SUSTENTABILIDADE EM DEBATE, [S.l.], v. 6, n. 2, p. 122 - 132, ago. 2015. ISSN 2179-9067. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2018. doi:http://dx.doi.org/10.18472/SustDeb.v6n2.2015.15807.

FONSECA, Francisco. Mídia, poder e democracia: teoria e práxis dos meios de comunicação. Rev. Bras. Ciênc. Polít., Brasília, n.6, p.41-69, Dec. 2011. Available from . Acesso em17 Dec. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-33522011000200003.

GÔLO, P.S.; FERNANDEZ, A. C. F.; SANTOS, C. C.; CHAVES, D. S. A.; COELHO, I. S.; SANTOS, L. A.; BARBOSA, M. I. M. J.; SANTOS, M. H.; JUNIOR, P. C. D.; CASTRO, R. N.; MAGALHÃES, V. S. Cartilha sobre o Sistema de Cadastro do Acesso ao Patrimônio Genético e ao Conhecimento Tradicional Associado. Comissão SisGen UFRRJ. Maio, 2018. Disponível em: http://institucional.ufrrj.br/sisgen/files/2018/05/Cartilha-sobre-o-SisGen.pdf. Acesso em 17/12/2018.

GRANJA, A. F.; BARROS-PLATIAU; VARELLA, M. D. Acesso aos recursos genéticos, transferência de tecnologia e bioprospecção. Rev. bras. polít. int., Brasília , v. 42, n. 2, p. 81-98, Dec. 1999 . Available from . access on 22 Oct. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-73291999000200005.

JORGE, M F; LOPES, ASSIS, F. V.; F. L. DE; TRAVASSOS, G.; FREITAS, V.; NONATO, A. C.; ORIND, V.; CARVALHO, S. P. de. INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Indicadores de Propriedade Industrial 2018: O uso do sistema de propriedade industrial no Brasil. Rio de Janeiro. 2018.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. 5. reimp. São Paulo: Atlas, 2007.

MASCARENHAS, G. A Biodiversidade Brasileira no Âmbito do Acordo TRIPS. Revista Brasileira de Inovação. v.3, n.2, p.393-416, 2004.

OLIVEIRA, E.; IRVING, M. A. . Controvérsias na agenda de proteção da biodiversidade no Brasil: o papel da mídia pela ótica da Teoria Ator-Rede. Razón y Palabra , v. 90, p. 1-23, 2015.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. D. Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2 ed. Novo Hamburgo - RS - Brasil: Universidade Feevale, 2013. 276 p.

PRPPGI. Re: sobre instrução normativa sisgen. Mensagem recebida por [email protected] em 27 de novembro de 2018.

SOUZA, A. L. G.; SILVA, G. F. Análise dos registros oficiais brasileiros de acesso legal ao patrimônio genético nacional e ao conhecimento tradicional associado. Revista INGI. Vol. 1, n. 1, p. 018-033. Out/Nov/Dez. Aracaju/SE, 2017.

TURINE, J. A. V.; MACEDO, M. L. R. DIREITOS HUMANOS, COMUNIDADES TRADICIONAIS E BIODIVERSIDADE: DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. Revista Direito UFMS, Campo Grande, MS, v. 3, n. 2, p. 175-194, jul./dez. 2017.

UNIVASF. Instrução normativa nº 02/2018, de 02 de abril de 2018. Dispõe sobre os procedimentos para operacionalização do Sistema Nacional de Gestão do Patrimônio Genético e do Conhecimento Tradicional Associado (SisGen), no âmbito da Fundação Universidade Federal do Vale doSão Francisco (UNIVASF). Petrolina/PE, 02 de abril de 2018.

YIN, R. K.. Estudo de caso: Planejamento e Métodos. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2001. 205 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação. A Revista INGI está licenciada com a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

ISSN: 2594-8288

Esta Revista é uma publicação da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - API - www.api.org.br 

A REVISTA INGI está cadastrada nos sistemas: