Impactos da Indicação Geográfica sob a Ótica do Artesão

Adeline Amorim Santos, Robelius De-Bortoli

Resumo


A Indicação Geográfica (IG) está associada ao registro de determinado produto ou serviço, cuja origem gera uma identidade distinta. Essa singularidade tende a causar uma valorização deste produto ou serviço, com possíveis impactos no desenvolvimento socioeconômico na comunidade que possui a IG. O objetivo do trabalho é investigar se a IG de Divina Pastora (SE) representou uma ferramenta de suporte para o desenvolvimento socioeconômico sobre a ótica das artesãs. Nos procedimentos metodológicos, o presente trabalho classifica-se como bibliográfico e estudo de caso. Para a coleta de dados, as entrevistas foram realizadas com pessoas associadas, ou não, à ASDEREN (Associação para o Desenvolvimento da Renda Irlandesa em Divina Pastora). A amostra foi composta por 40 sujeitos envolvidos diretamente com o trabalho da Renda Irlandesa, o que nos proporciona uma amostra de 20% do universo considerado. Com os resultados obtidos na revisão da literatura e nas pesquisas de campo, foi possível identificar que a IG da Renda Irlandesa gerou um suporte socioeconômico na vida das rendeiras de Divina Pastora (SE), segundo as próprias rendeiras. Contudo, há a compreensão por parte das rendeiras de que houve melhorias, embora seu poder de compra não se alterou ao longo dos 5 anos de IG, portanto a Renda Irlandesa ainda é complemento financeiro, não a fonte principal da maioria das entrevistadas. Há o reconhecimento pela titulação, atribuindo-lhes autoridade pela arte secular, mas as interfaces relacionadas a esse reconhecimento, no que diz respeito à IG, ainda não estão sendo exploradas, comprometendo a avaliação sobre o desempenho da IG em Divina Pastora (SE).


Palavras-chave


Renda Irlandesa; Desenvolvimento Socioeconômico; Divina Pastora; Indicação Geográfica

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, A. D. Dossiê IPHAN 13 Modo de Fazer Renda Irlandesa, tendo como referência o ofício em Divina Pastora. Brasília: IPHAN, [200-]. Disponível em:

BELAS, C. A. Renda de Divina Pastora: Interfaces entre a indicação geográfica e a salvaguarda cultural. In: FIGUEREDO, W. ZACCHI, M. (Org.). Divinas Pastora: Caminhos da Renda Irlandesa. Rio de Janeiro: IPHAN, CNFCP, 2013.

BRUCH, K. L. Signos distintivos de origem: entre o velho e novo mundo vitivinícola. 1. ed. Passo Fundo: Editora IMED, 2013.

BRUCH, K. L. et al. Normas técnicas para indicações geográficas e seus reflexos no setor vitivinícola. In: VIEIRA, A. C. P.; ZILLI, J. C.; BRUCH, K. L. (Org.). Propriedade intelectual, desenvolvimento e inovação: ambiente institucional e organizações. Criciúma: EDIUNESC, p. 15-35, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.18616/pidi01.

CAROLI, M. G. O Marketing para Gestão do Desenvolvimento Econômico do Território. In: LAGES ,V.; BRAGA, C.; MORELLI, G. Territórios em movimento: cultura e identidade como estratégia de inserção competitiva. Brasília: SEBRAE, p. 219-258, 2004.

CHOAY, F. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Estação Liberdade: UNESP, 2006.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto; tradução Luciana de Oliveira da Rocha. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DANTAS, B. G. Renda de Divina Pastora. Rio de Janeiro: Funarte, CNFCP, 2001

GASPAR, L. C. M. Potencialidades e estratégias para o mel de abelha do Estado do Rio de Janeiro: análise prospectiva para valorização por meio dos sinais distintivos do comércio. 2015. Dissertação (Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Inovação) – Academia de Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento, Coordenação de Programas de Pós Graduação e Pesquisa, Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI, Rio de Janeiro, 2015.

KAKUTA, S. M.; SOUZA, A. L.; SCHWANKE, F. H.; GIESBRECHT, H. O. Indicações geográficas: guia de respostas. Porto Alegre: Sebrae-RS, 2006.

LOCATELLI, L. Indicações Geográficas e Desenvolvimento Econômico. In. BARRAL, W.; PIMENTEL, L. O. (Org.). Propriedade intelectual e desenvolvimento. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2007.

LOCATELLI, L. Indicações Geográficas: a proteção jurídica sob a perspectiva do desenvolvimento econômico. Curitiba: Juruá, 2009.

MASCARENHAS, G. Indicações geográficas no Brasil: principais fatores determinantes do seu reconhecimento e desempenho. In: Encontro Naconal de Estudos do Consumo, 4, Anais eletrônicos, Rio de Janeiro: CPDA, 2008. Disponível em: Acessado em: março de 2018.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2011

NETO, R. J.; FREIRE, P. de S.; VIEIRA, A. C. P.; ZILLI, J. C. Vales da uva Goethe: Uma análise do processo de institucionalização da Indicação Geográfica para o desenvolvimento socioeconômico. Revista GEINTEC, v. 6, n. 1, p. 2894-2908, 2016. doi. 10.7198/S2237-0722201600010013

NIEDERLE, P. A. Indicações geográficas e processos de qualificação nos mercados agroalimentares. In: NIEDERLE, P. A. (Org.). Indicações geográficas: qualidade e origem nos mercados alimentares. Porto Alegre: UFRGS, 2013

NIEDERLE, P. A.; MASCARENHAS, G. C. C.; WILKINSON, J. Governança e institucionalização das indicações geográficas no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 55, n. 1, p. 85-102, 2017.

PELLIN, V.; VIEIRA, A. C. P. Indicações geográficas no Brasil: uma perspectiva pro- -registro. In: LOCATELLI, L. (Org.). Indicações geográficas: desafios e perspectivas nos 20 anos da Lei de Propriedade Industrial. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016.

SAKR, M. R.; DALLABRIDA, V. R. O marketing territorial como estratégia de construção e divulgação da imagem dos territórios: a indicação geográfica como referência. Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional. UNISC, Rio Grande do Sul, 2015.

SEBRAE. Cursos voltados para artesanato. Disponível em:

SOUZA, W. A. de. Artes Plásticas II. Biblioteca Educação é Cultura. Rio de Janeiro: Bloch: FENAME, 1980.

VIANNA, L. C. R.; SALAMA, M. R. L. Avaliação dos planos e ações da salvaguarda de bens culturais registrados como patrimônio imaterial brasileiro. In: Políticas culturais: pesquisa e formação. CALABRE, L. (org.) Itaú Cultural e Fundação Casa de Rui Barbosa, Rio de Janeiro, 2012, p. 67-89.

ZACCHI, M. S.; CHAGAS, M. M; BARRETO, R. Renda Irlandesa: catálogo de produtos da Renda Irlandesa em Sergipe. Aracaju: Iphan-SE, 2015


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação. A Revista INGI está licenciada com a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

ISSN: 2594-8288

Esta Revista é uma publicação da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - API - www.api.org.br