ROCAMBOLE OF LAGOA DOURADA ONE STEP TO GEOGRAPHICAL IDENTIFICATION?

Stéfane Caroline Jaques, Denise Carneiro dos Reis Bernardo, Fabrício Molica de Mendonça, Daniela Martins Diniz

Resumo


O objetivo desse estudo foi identificar os procedimentos que poderão ser adotados para o registro da Identificação Geográfica do rocambole de Lagoa Dourada, um produto de elevada tradição histórica. Quanto ao método, a pesquisa pode ser classificada como um estudo de caso qualitativo de cunho descritivo. O município de Lagoa Dourada (Minas Gerais) possui como tradição na produção de rocambole que representa importante fator para o desenvolvimento econômico local. Dessa forma, o registro da Identificação Geográfica do rocambole é uma alternativa plausível para atingir maior notoriedade e valorização do produto. Após a listagem das etapas necessárias para a solicitação do registro, os resultados do estudo apontam que o rocambole de Lagoa Dourada tem potencial para a solicitação de registro de Indicação de Procedência. Nesse sentido, diversas ações podem ser implementadas para o alcance dessa finalidade e a mobilização dos produtores locais pode ser considerado o primeiro passo para o início do processo.


Palavras-chave


Indicação de Procedência; Rocambole; Tradição Local; Desenvolvimento Socioeconômico

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, S. L.; PAIVA JÚNIOR, F. G.; GUERRA, J. R. F.; MEDEIROS, J. J. Regulação Cultural, Indicação Geográfica e a (Re)Significação de um Queijo Artesanal. Organizações & Sociedade, v. 28, n. 97, p. 413-433, 2021. Disponível em: . Acesso em: 13 de novembro de 2021.

BERTONCELLO, A. G.; SILVA, K. F. R.; GODINHO, ?. M. M. Indicação Geográfica Protegida: Agrega Valor ao Produto e Induz ao Desenvolvimento Regional? O Caso da Cachaça de Paraty. Desafio Online, v. 4, n. 1, p. 1-27, 2016. Disponível em: . Acesso em? 10 de outubro de 2021.

BRASIL. Instrução Normativa n. 95 de 28 de dezembro de 2018. Estabelece as condições para o registro das Indicações Geográficas. Ministério da indústria, comércio exterior e serviços instituto nacional da propriedade industrial. Brasília, 2018.

BUZZATI, D. J. Lagoa Dourada 300 Anos. Síntese Histórica. Belo Horizonte, 2011.

CARVALHO, Ícaro Célio Santos de; PEREIRA, João Pedro de Castro Nunes; FERRAZ, Marcelo Inácio Ferreira. Indicação geográfica e desenvolvimento local: Uma análise sob o enfoque da dinâmica territorial. Revista Espacios, v. 38, n. 9, 2017. Disponível em: . Acesso em: 01 de julho de 2021.

CASTRO, V. A.; LOURENÇÃO, M.; GIRALDI, J. M. E. Geographical Indication As A Strategic Brand Resource In The Wine Sector In Rio Grande Do Sul/Brazil. Revista de Administração da UFSM, v. 14, n. 2, p. 276-296, 2021. Disponível em: . Acesso em: 11 de setembro de 2021.

CRUZ, B. E. V. da; DIAS, A. L. C.; SOUZA, A. C. dos S.; PINHEIRO, J. dos S. G. do S. A identificação geográfica para o queijo do Marajó com estratégia de desenvolvimento territorial para a microrregião do ARARI-MARAJÓ, PA. Cadernos de Prospecção, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 158, 2015. Disponível em: . Acesso em: 11 de janeiro de 2022.

CUNHA, Camila Biral Vieira da. Indicações geográficas: regulamentação nacional e compromissos internacionais. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, 2011.

DARDEAU, R. Vinho Fino Brasileiro. Rio de Janeiro: Mauad X, 2015.

DILÁSCIO, B. B. ; DILÁSCIO, M. B. ; MENDONÇA, F. M. ; SIQUEIRA, P. H. L. ; DINIZ, D. M. . Artesanato em tear manual de resende costa a um passo da indicação geográfica . Revista Indicação Geográfica e Inovação, v. 5, p. 1345-1362, 2021. Disponível em: . Acesso em: 11 de março de 2021.

FACIROLLI SOBRINHO, M. H.; GUEDES, C. A. M.; CASTRO, M. C. D.. A Indicação Geográfica do café da Serra da Mantiqueira de Minas Gerais como ferramenta de desenvolvimento territorial. Interações (Campo Grande), v. 22, p. 279-294, 2021.Disponível em: . Acesso em: 11 de setembro de 2021.

GOVERNO FEDERAL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O que é Indicação Geográfica? Como obter o registro? Governo Federal, 2017. Disponível em: . Acesso em: 23 ago. 2021.

HORA, G. B. da. Os Dois Lados da Mesma Moeda: inclusão e exclusão territorial de vitivinicultores no contexto da Indicação Geográfica Vales da Uva Goethe/SC. 2019. 304 f. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2019.

IBGE- INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades, Lagoa Dourada. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/lagoa-dourada. Acesso em: 9 de julho de 2020

INPI. Manual de indicações geográficas, 2021. Disponível em: . Acesso em: 31 de agosto de 2021.

MARIE-VIVIEN, D.; BIÉNABE, E. The Multifaceted Role of the State in the Protection of Geographical Indications: A Worldwide Review. World Development, v. 98, p.1-11, out. 2017.

MASCARENHAS, G.; WILKINSON, J. Indicações geográficas em países em desenvolvimento: potencialidades e desafios. Revista de Política Agrícola, v. 23, n. 2, p. 103-115, 2014. Disponível em: . Acesso em: 08 de novrmbro de 2021.

MINAS GERAIS. Lei ordinária (2019). Disponível em: https://leisestaduais.com.br/mg/lei-ordinaria-n-23509-2019-minas-gerais-confere-ao-municipio-de-lagoa-dourada-o-titulo-de-capital-estadual-do-rocambole. Acesso em: 9 de julho de 2020.

PELLIN, V. Indicações Geográficas e desenvolvimento regional no Brasil: a atuação dos principais atores e suas metodologias de trabalho. Interações, v. 20, n. 1, p. 63-78, jan./mar. 2019. Disponível em: . Acesso em: 11 de setembro de 2021.

REIS, L. L. de M. Indicação geográfica no Brasil: Determinantes, limites e possibilidades. 2015. 270 f. Tese. (Doutorado em Geografia) - Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015.

SEBRAE, Valorização de produtos com diferencial de qualidade e identidade: indicações geográficas e certificações para competitividade nos negócios organizado por Vinícius Lages, Léa Lagares e Cristiano Lima Braga. Brasília: Sebrae, 2005.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Três enfoques na pesquisa em ciências sociais: o positivismo, a fenomenologia e o marxismo. 1987.

VELLOSO, C. Q. Indicação geográfica e desenvolvimento territorial sustentável: A atuação dos atores sociais nas dinâmicas de desenvolvimento territorial a partir da ligação do produto ao território (um estudo de caso em Urussanga, SC). Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas, 2008.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. Ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação. A Revista INGI está licenciada com a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

ISSN: 2594-8288

Com DOI por artigo.

Esta Revista é uma publicação da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - API - www.api.org.br 

A REVISTA INGI está cadastrada nos sistemas: