Prospecção Tecnológica do Palmito-Juçara (Euterpe Edulis Martius)

Camila Ferreira Nunes, Daniela de Sá Jacobina Pires, Irineu Afonso Frey, Eduardo Luiz Gasnhar Moreira

Resumo


A vasta diversidade de espécies botânicas no Brasil é, ainda, pouco conhecida e o potencial dos produtos florestais não madeireiros é notório. Grande parte desses produtos é explorada quase que exclusivamente pelo extrativismo. A espécie Euterpe edulis (juçara) tem sido explorada comercialmente nas últimas cinco décadas para a produção de uma iguaria: o palmito retirado do interior da estipe. Por outro lado, emerge uma onda de consumo de produtos gerados com o patrimônio genético brasileiro e que tem despertado interesse de grandes indústrias. Neste sentido, o desenvolvimento de produtos inovadores com grande potencial mercadológico deve basear-se em investigação científica sólida aplicada a processos tecnológicos otimizados, economicamente viáveis e de baixo impacto ambiental. Assim, o presente estudo objetivou prospectar, por meio da avaliação de informações oriundas de artigos científicos e documentos de patentes, as principais propriedades com aplicações biológicas/medicinais da espécie E. edulis.


Palavras-chave


Prospecção Tecnológica; Inovação

Texto completo:

PDF

Referências


DALBÓ, S. et al. Mechanisms underlying the vasorelaxant effect induced by proanthocyanidin-rich fraction from Croton celtidifolius in rat small resistance arteries. J Pharmacol Sci, 106:234-41, 2008.

FANTINI, A. C.; GURIES, R. P. Forest structure and productivity of palmiteiro (Euterpe edulis Martius) in the Brazilian Mata Atlântica. Forest Ecology and Management, v. 242, n. 2-3, p. 185-194, abr. 2007.

GALETTI, M.; FERNANDEZ, J. C. Palm heart harvesting in the Brazilian Atlantic forest: changes in industry structure and the illegal trade. Journal of Applied Ecology, v. 35, n. 2, p. 294-301, abr. 1998.

HENDERSON, A. The genus Euterpe in Brazil. In: REIS, M. S. DOS R. & A. (Ed.). Euterpe edulis Martius - (Palmiteiro) - Biologia, Conservação e Manejo. [s.l.] Herbário Barbosa Rodrigues, 2000. p. 1-22.

HORT, M. A. et al. Anti-atherogenic effects of a phenol-rich fraction from Brazilian red wine (Vitis labrusca L.) in hypercholesterolemic low-density lipoprotein receptor knockout mice. J Med Food, 15:936-44, 2012.

MAYERHOFF, Z. D. V. L. Uma análise sobre os estudos de prospecção tecnológica. Rio de Janeiro: Instituto Nacional da Propriedade Industrial , 2008.

MMA. Instrução normativa n°06 de 26 de setembro de 2008. . 2008, p. 1-55.

MOREIRA, E. L. G. et al. Proanthocyanidin-rich fraction from Croton celtidifolius Baill confers neuroprotection in the intranasal 1-methyl-4-phenyl-1,2,3,6-tetrahydropyridine rat model of Parkinson's disease. J Neural Transm, 117:1337-51, 2010.

PORTELA, Q. et al. Demography of palm species in Brazil’s Atlantic forest: a comparison of harvested and unharvested species using matrix models. Biodiversity and Conservation, v. 19, n. 8, p. 2389-2403, 8 maio. 2010.

PORTINHO, J. A. et al. Efeitos Benéficos do Açaí. International Journal of Natrorologylogy, v. 5, n. 1, p. 15-20, 2012.

QUINTELLA, Cristina Maria et al. Prospecção tecnológica como uma ferramenta aplicada em ciência e tecnologia para se chegar à inovação. Revista Virtual de Química, v. 3, n. 5, p. 406-415, 2011.

REIS, A. Dispersão de sementes de Euterpe edulis Martius – (Palmae) em uma Floresta Ombrófila Densa Montana da encosta atlântica em Blumenau, SC. [s.l.] UNICAMP, 1995.

SANTOS, M.; COELHO, G.; SANTOS, D. M.; FELLOWS FILHO, L. Prospecção de tecnologias de futuro: métodos, técnicas e abordagens. Parcerias Estratégicas, n. 19, p. 189-229, dez. 2004.

TEIXEIRA, Luciene Pires. Prospecção tecnológica: importância, métodos e experiências da Embrapa Cerrados. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, 2013.

VELOSO, H. P.; Klein, R. M. As comunidades e associações vegetais da mata pluvial do sul do Brasil. I - As comunidades do município de Brusque, estado de Santa Catarina. Sellowia, n. 9, p. 81-235, 1957.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação. A Revista INGI está licenciada com a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

ISSN: 2594-8288

Esta Revista é uma publicação da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - API - www.api.org.br