EVOLUTION OF SCIENTIFIC PRODUCTION ON TECHNOLOGICAL PARKS

Dimitrius Pablo Sabino Lima de Miranda, Cleide Mara Barbosa da Cruz, Suzana Leitão Russo

Resumo


Os Parques Tecnológicos são empreendimentos que apresentam diversas vantagens, como contribuição significativa no desenvolvimento social e econômico, bem como impulsionamento das interações entre universidades, governo e empresas. O objetivo deste estudo foi realizar uma bibliometria sobre os Parques Tecnológicos. A metodologia consiste numa bibliometria, sendo realizada uma pesquisa por meio da base de dados Scopus, onde foram utilizadas as palavras-chave “technological parks”, em que se aplicou filtros e diante disso foram encontradas 804 produções científicas do ano de 1956 a 2020. Os resultados mostram que houve um aumento considerável no ano de 1991 desde as primeiras publicações de artigos sobre o tema, no entanto foi em 2019 que houve o maior quantitativo de produções científicas, sendo 74, em 2020 apresentou 70 artigos, porém este quantitativo foi contabilizado até o mês de novembro do ano corrente, podendo ter aumentado a quantidade de produções no mês seguinte. E apesar do Brasil estar entre os dez países com maior quantidade de publicações, ainda apresenta poucas produções, a China e os Estados Unidos têm maior número de produções depositados na base Scopus sobre o tema, juntos apresentam 249 produções. Dessa maneira, percebe-se que ainda é necessário ampliar as produções científicas relacionadas aos Parques Tecnológicos no mundo e principalmente no Brasil e em países desenvolvidos, pois estes ambientes vêm se expandindo e apresentam extrema relevância para economia local e regional de onde estão situados, fazendo com que a ciência, tecnologia e inovação dos países melhorem significativamente.


Palavras-chave


Parques Tecnológicos; Ecossistemas de Inovação; Produção Científica

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Isabela Brod Lemos de et al. Parques tecnológicos: panorama brasileiro e o desafio de seu financiamento. 2016.

AUDY, Jorge; PIQUÉ, Josep. Dos parques científicos e tecnológicos aos ecossistemas de inovação. Desenvolvimento social e econômico na sociedade do conhecimento. ANPROTEC–Tendências. Brasília, DF: ANPROTEC, 2016.

ALVES, B. C. P.; SPINOLA, C. A.; SOUZA, L. N. Parques Tecnológicos: um estudo de caso da experiência baiana. Revista Gestão e Planejamento, Salvador, v. 20, p. 185-199, 2019.

ANPROTEC. Parques Tecnológicos em operação. 2019. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2019.

BELLAVISTA, J.; SANZ, L. Science and technology parks: habitats of innovation: introduction to special section. Science and Public Policy, v. 36, n. 7, p. 499-510, Aug. 2009.

BRASIL. lei nº 13.243, de 11 de janeiro de 2016.. 2016. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2019.

GAINO, A. A. P. Inovação e território: uma discussão sobre a formação e consolidação dos parques tecnológicos no Brasil. Dissertação (Mestrado) Economia Política pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2012.

GAINO, A; A. A. P.; PAMPLONA. B, J. B. Abordagem teórica dos condicionantes da formação e consolidação dos parques tecnológicos. Production, v. 24, n. 1, p. 177-187, 2014.

IASP. Internacional Association of Science Parks. Disponível em: http://www.iasp.ws/publico/intro.jsp. Acesso em: 18 dez. 2019.

KOH, F. C. C.; KOH, W. T. H.; TSCHANG, F. T. An analytical framework for science parks and technology districts with an application to Singapore. Journal of Business Venturing, v. 20, n. 2, p. 217-239, 2005.

MALERBA, F.; LUISA, M.; MONTOBBIO, F. Innovation, international R & D spillovers and the sectoral heterogeneity of knowledge flows. Revista World Econ, v. 146, p. 697-722, 2013.

MEDEIROS, José Mauro Gouveia de; VITORIANO, Maria Albeti Vieira. A evolução da bibliometria e sua interdisciplinaridade na produção científica brasileira. Rev. Digit. Bibliotecon. Cienc. Inf, v.13, n.3, p.491-503, 2015.

OLIVEIRA, Jonatas et al. PARQUES TECNOLÓGICOS: ALAVANCAGEM ECONÔMICA DO ENTORNO. Revista Produção e Desenvolvimento, 2017.

RIBEIRO, J. A.; LADEIRA, M. B.; FARIA, A. F. Modelo de referência para a gestão estratégica do desempenho de parques tecnológicos. REAd, v. 24, n. 3, p. 183-216, 2018.

Parque de Desenvolvimento Tecnológico – PADETEC. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2019.

PEREIRA, Vinícius Silva; ZILBER, Moises Ari. Vantagem competitiva por meio da inovação em empresas incubadas em um Parque Tecnológico. Race: revista de administração, contabilidade e economia, v. 16, n. 1, p. 65-94, 2017.

PESSÔA, Leonel Cesarino et al. Parques tecnológicos brasileiros: uma análise comparativa de modelos de gestão. RAI Revista de Administração e Inovação, v. 9, n. 2, p. 253-273, 2012.

PHAN, P. H.; SIEGEL, D. S.; WRIGHT, M. Science parks and incubators: observations, synthesis and futureresearch. Journal of Business Venturing, v. 20, n. 2, p. 165-182, 2005.

PIETROBON-COSTA, Flávio; FORNARI JUNIOR, Celso Carlino Maria; SANTOS, Thiago Martins Ramos dos. Inovação & propriedade intelectual: panorama dos agentes motores de desenvolvimento e inovação. Gest. Prod., São Carlos , v. 19, n. 3, p. 493-508, 2012 .

SALVADOR, D. S.; TOBOSO-CHAVERO, S.; NADAL, A.; GABARREL, X.; RIERADEVALL, J.; SILVA, R. S. Potential of technology park s to implement Roof Mosaic in Brazil. Journal of Cleaner Production, v. 235, p. 166-177, 2019.

UNESCO. Science Policy and Capacity-Building. Disponível em: http://www.unesco.org/new/en/natural-sciences/science-technology. Acesso em: 18 dez. 2019.

UNESCO – ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. Science parks around the world. Paris, 2017. Acesso em: 18 jun. 2018

XIE, K; SONG, Y; ZHANG, W; HAO, J; LIU, Z; CHEN, Y. Technological entrepreneurship in science parks: A case study of Wuhan Donghu High-Tech Zone. Technological Forecasting & Social Change, v. 135, p. 156–168, 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação. A Revista INGI está licenciada com a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

ISSN: 2594-8288

Com DOI por artigo.

Esta Revista é uma publicação da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - API - www.api.org.br 

A REVISTA INGI está cadastrada nos sistemas: