STUDY ON THE POSSIBILITIES OF GI OF THE UAUÁ REGION, BAHIA: ENVIRONMENTAL PRESERVATION INSTRUMENTS AND TERRITORIAL MANAGEMENT STRATEGY

Giovanna Martins Sampaio, Hermes Oliveira Gomes, Janete Aparecida Martins Sampaio, Maria Cristina Carneiro Lima

Resumo


O presente trabalho detém como objetivo principal analisar como a região baiana de Uauá detém o potencial de “oferta” de não apenas uma, senão duas IG (Indicações geográficas), referentes à Carne de Uauá, e quanto à cerveja e ao Chopp de Umbu (fruta tropical regional) produzidos na região. Com isso, demonstra-se o valor agregado desses produtos, reiterando- se o valor turístico atrativo da região e indicando o potencial para concessão/obtenção de Indicação Geográfica. A metodologia utilizada foi a revisão de Bibliografia sistemática e exploratória, com o uso de estudos e documentos interdisciplinares em torno do tema, bem como que artigos e dissertações das instituições públicas federais da Bahia, livros, reportagens e notícias, e dados geográficos da região, visando-se embasar as circunstâncias que conferem à Carne e ao Umbu (cerveja e chopp) de Uauá potencial para registro de IG. Os resultados parciais confirmam as inúmeras vantagens da obtenção de IG para esses produtos, no que tange ao desenvolvimento e gestão sustentáveis da região, e a maior conexão/ligação campo- cidade.


Palavras-chave


Uauá; indicação geográfica; sustentabilidade; estratégia de gestão territorial; inovação

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, Francisco Pinheiro de, et al. Extrativismo do umbu e alternativas para a manutenção de áreas preservadas por agricultores familiars em Uauá, Bahia. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/146688/1/SDC272.pdf . Acesso em: 20 ago. 2020.

BRASIL. Lei nº. 9.279/1996, de 14 de maio de 1996. Regula direito e obrigações relativos à propriedade industrial. Brasil, INPI, 1996.

BRITTO, Carlos. Cerveja artesanal à base de umbu produzida em Uauá cai no gosto dos soteropolitanos. 18 ago, 2018. Disponível em: https://www.carlosbritto.com/cerveja-artesanal-a- base-de-umbu-produzida-em-uaua-cai-no-gosto-dos-soteropolitanos/ . Acesso em: 20 ago. 2020.

CARVALHO, Graciele dos Reis; DIAS, Acácia Batista. Indicação geográfica no território do sisal na Bahia: possibilidades e perspectivas. Disponível em: http://www.revistageintec.net/index.php/revista/article/view/70 . Acesso em: 23. Abril. 2020.

CASCUDO, L. da C. (Org.). Antologia da alimentação no Brasil. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1977.

¬¬¬¬___________ História da alimentação no Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, 1983.

CNI (Portal da Indústria). Um panorama das indicações geográficas no Brasil. Disponível em:. Acesso em: 20. Set. 2019.

Coopercuc e Experimento Beer lançam cerveja Saison Beer. Gravetero, 05 mar. 2015. Disponível em: http://www.coopercuc.com.br/coopercuc-e-experimentobeer-lancam-cerveja- saison-umbu/ . Acesso em: 20 ago. 2020.

COSTA, Ewerton Reubens Coelho. As Indicações Geográficas (IGs) como elementos fortalecedores para a atividade turística. Disponível em:< http://periodicos.uern.br/index.php/turismo/article/view/1073>. Acesso em: 20. Set. 2019.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GOLLO, Silvana Saionara; CASTRO, Alberto William Viana de. Indicações geográficas no Brasil: as Indicações de procedência já outorgadas e as áreas e produtos com potencial de certificação. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/43987/1/778.pdf . Acesso em: 20 ago. 2020.

__________O processo de inovação e de estratégias de cooperação competitiva para a obtenção da indicação de procedência Vale dos Vinhedos. Disponível em: https://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/bitstream/doc/410231/1/781.pdf . Acesso em: 20 ago. 2020.

GREGORI, Isabel Christine Silva de; NEDEL, Nathalie Kuczura. Indicações Geográficas: um mecanismo jurídico apto a impulsionar o desenvolvimento enquanto revelador das diversas facetas da sustentabilidade. Revista Jurídica, v. 1, n. 46, 2016, pg. 76-89. Disponível em: http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_serv icos_produtos/bibli_informativo/bibli_inf_2006/Rev-Juridica-UNICURITIBA_n.46.05.pdf . Acesso em: 20 ago. 2020.

GUIMARAES FILHO, Clovis. Certificação de indicação Geográfica – Uma estratégia de inserção no Mercado para produtos do Semiárido. Disponível em: http://www.seagri.ba.gov.br/sites/default/files/4_socioeconomia02v9n1.pdf . Acesso em: 20 ago. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTÁTISTICA (IBGE). Cidades. Disponível

em: . Acesso em: 27 ago. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL (INPI). Guia básico de

Indicação Geográfica. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2019.

IRPAA. Parceria entre Embrapa e Coopercuc promove o georreferenciamento de umbuzeiros nos munícipios de Curaçá e Uauá, no norte da Bahia. Notícias, 04 abr. 2018. Disponível em: https://irpaa.org/noticias/1808/parceria-entre-embrapa-e-coopercuc-promove-o- georreferenciamento-de-umbuzeiros-nos-municipios-de-curaca-e-uaua-no-norte-da-bahia . Acesso em: 20 ago. 2020.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Atlas, 1991.

LIMA, Natália de Brito; CARVALHO, Hermilino Danilo Santana de; BORGES, Elane Fiuza. Análise da influência climática na vegetação e na agropecuária da região nordeste da Bahia. Disponível em:https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=&cad=rja&uact=8&ved=2ahUKEwjhra65sq_rAhXfHrkGHZuFAscQFjAAegQIBBAB&url=http%3A%2F%2Fperiodicos.ufs.br%2Findex.php%2Fsemic%2Farticle%2Fview%2F2539&usg=AOvVaw1L1Vc6OSxGln9_ti yN-_-4 . Acesso em: 20 ago. 2020.

LINDOSO, Diego; EIRO´, Flávio; ROCHA, Juliana Dalboni. Desenvolvimento sustentável, adaptação e vulnerabilidade à mudança climática no Semiárido Nordestino: Um estudo de caso no Sertão do São Francisco. Disponível em: https://www.google.com/search?client=safari&rls=en&q=LINDOSO,+Diego;+EIRO%C2%B4,+Fl%C3%A1vio;+ROCHA,+Juliana+Dalboni.+Desenvolvimento+sustent%C3%A1vel,+adapta%C3%A7%C3%A3o+e+vulnerabilidade+%C3%A0+mudan%C3%A7a+clim%C3%A1tica+no+Semi%C3%A1rido+Nordestino:+Um+estudo+de+caso+no+Sert%C3%A3o+do+S%C3%A3o+Francis co.+%3F%3F%3F%3F%3F&ie=UTF-8&oe=UTF-8 . Acesso em: 20 ago. 2020.

MAIORKI, Giovane José; DALLABRIDA, Valdir Roque. A indicação geográfica de produtos – um estudo sobre sua contribuição econômica no desenvolvimento territorial. Disponível em:. Acesso em: 20. Set. 2019.

MAPA. Curso de Propriedade intelectual e Inovação no Agronegócio: Módulo II – Indicação Geográfica. Disponível em: http://antigo.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/indicacao- geografica/arquivos-publicacoes-ig/livro-curso-de-propriedade-intelecual-inovacao-no- agronegocio-modulo-ii-indicacao-geografica.pdf . Acesso em: 20 ago. 2020.

MARQUES, Tiago. Cerveja artesanal de umbu faz sucesso na Bahia. Agência Sertão, 25 abr. 2016. Disponível em: https://agenciasertao.com/2016/04/25/cerveja-artesanal-de-umbu-faz- sucesso-na-bahia/ . Acesso em: 20 ago. 2020.

MILAGRES, Filipe César Oliveira. Desenvolvimento e caracterização de cerveja astesanal com umbu. 34 f. Monografia (Bacharelado em Gastronomia) – Universidade Federal Rural de Pernambuco. Recife, 2019. Disponível em: https://www.repository.ufrpe.br/bitstream/123456789/1051/1/tcc_eso_filipecesaroliveiramilagres%20.pdf . Acesso em: 20 ago. 2020.

REIS, Lívia. Liberato de Matos. Indicação Geográfica no Brasil: determinantes, limites e possibilidades. 2015. 270 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal da Bahia. Salvador, 2015. Disponível em:

. Acesso em: 27 ago. 2019.

REZENDE, Adriano Alves de, et al. Considerações sobre as potenciais indicações geográficas do sudoeste da Bahia. Revista de Política Agrícola, Ano XXIV, N. 4, out/dez, 2015. Disponível em: https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=&ved=2ahUKEwiIi5vIs6_rAhWrFbkGHdcNDl8QFjAAegQIAxAB&url=https%3A%2F%2Fseer.sede.embrapa.br%2Findex.php%2FRPA%2Farticle%2Fdownload%2F1052%2F977&usg=AOvVaw33WENoFN7krWrN0 4YMBGR . Acesso em: 20 ago. 2020.

SANTOS, Elisabete de Oliveira Costa. Importância sócio-econômica do beneficiamento do umbu para os municípios de Canudos, Uauá e Caraçá. Disponível em: http://www.abcmac.org.br/files/simposio/3simp_elisabete_importanciasocioeconomicodoumbu.pd f . Acesso em: 20 ago. 2020.

SANTOS, Joelito da Cruz; SANTOS, Wagna Piler Carvalho dos. Contribuições para Indicação Geográfica (IG): considerações sobre Itororó – BA como uma potencial IG para Carne do Sol. Cadernos de Prospecção, v. 12, n. 1, p. 231-242, mar, 2019. Disponível em:https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=&ved=2ahUKEwiA9JnMsK_rAhWXLLkGHf9oCP4QFjABegQIAhAB&url=https%3A%2F%2Frigs.ufba.br%2Findex.php%2Fnit%2Farticle%2Fdownload%2F27215%2F16975&usg=AOvVaw0ONpPAexyDPEoc87Rdj2 vz . Acesso em: 20 ago. 2020.

SILVA, Antenor Roberto Pedroso da. Indicações geográficas e estratégia territorial competitiva: estudo comparado Brasil x Espanha. 2014. 193 f. Tese (Doutorado em Economia) – Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2014. Disponível em:. Acesso em: 27 ago. 2019.

VALENTE, Maria Emília Rodrigues; PEREZ, Ronaldo; RAMOS, Afonso Mota; CHAVES, José Benício Paes. Indicação Geográfica de alimentos e bebidas no Brasil e na União Europeia. Ciência Rural, v. 42, n. 3, pg. 551-558, mar. 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cr/v42n3/a7712cr5407.pdf . Acesso em: 20 ago. 2020.

VIEIRA, Lício Valério Lima; SOARES, Roberta Nascimento. Turismo e Geografia: Perspectivas da Indicação Geográfica (IG) no Planejamento Territorial. Caderno Virtual de Turismo, v. 19, n. 3, 2019. Disponível em: https://www.redalyc.org/jatsRepo/1154/115461709016/html/index.html .Acesso em: 20 ago. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação. A Revista INGI está licenciada com a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

ISSN: 2594-8288

Esta Revista é uma publicação da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - API - www.api.org.br 

A REVISTA INGI está cadastrada nos sistemas: