MANGABEIRA: PATENTED TECHNOLOGY MONITORING

Valdinete Vieira Nunes, Juliana Lopes Souza, Crislaine Costa Calazans, Sara Lorena de Pádua Souza, Renata Silva-Mann

Resumo


O Brasil é considerado um dos países com a maior biodiversidade do mundo e possui alto potencial para inovações de base biológica. Por esse motivo, é alvo de pesquisas desenvolvidas por indústrias farmacêuticas, de alimentos, cosméticos, entre outras. Entre as espécies da flora brasileira, destaca-se Hancornia speciosa por apresentar potencial para o desenvolvimento de inovações. Desta forma, objetivou-se com este estudo o monitoramento das tecnologias patenteadas relacionadas à espécie H. speciosa. Realizou-se um levantamento de patentes depositadas utilizando a ferramenta Orbit Intelligence e o termo Hancornia speciosa OR mangaba. Foram considerados documentos que apresentaram este termo no título, resumo, reivindicações e descrição. As patentes foram avaliadas quanto à distribuição por país, Classificação Internacional de Patentes, patentes vigentes e expiradas. Verificou-se um total de 45 patentes distribuídas nos seguintes países: Brasil, Alemanha, França, Estados Unidos da América, Índia, Japão, Austrália, China, República Tcheca, Espanha, Geórgia, Itália, República da Coréia, Noruega, Nova Zelândia, Turquia, Ucrânia, Uzbequistão, Vietnã, Reino Unido e África do Sul. Foram identificadas dezessete áreas de domínio tecnológico, sendo elas: química de alimentos, farmacêutica, tecnologia médica, química dos materiais básicos, biotecnologia, outras máquinas especiais, química macromolecular e polímeros, tecnologia ambiental, materiais e metalurgia, tecnologia de superfície e revestimento, química orgânica fina, engenharia química, comunicação digital, têxtil e máquina de papel, análise de materiais biológicos, móveis, jogos e manipulação. Somente 24 patentes permanecem vigentes. O Brasil destacou-se no desenvolvimento e proteção de novas tecnologias, aspecto positivo por tratar-se de um estímulo positivo ao desenvolvimento tecnológico, científico, social e econômico do país.


Palavras-chave


Biodiversidade; Orbit Intelligence; Patentes

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L. M.; FLORIANO, J. F.; RIBEIRO, T. P.; MAGNO, L. N.; MOTA, L. S. L. S.; PEIXOTO, N.; MRUÉ, F.; MELO-REIS, P.; LIMA JUNIOR, R. S.; GRAEFF, C. F. O.; GONÇALVES, P. J. Hancornia speciosa latex for biomedical applications: physical and chemical properties, biocompatibility assessment and angiogenic activity. Journal of Materials Science: Materials in Medicine, v. 25, p. 2153-2162, 2014.

ARAUJO, L. O., ANTENOR, M. C., ANDRADE, J. S., FERNANDES, R. F., GALDINO, S. M.; BARROS FILHO, M. M. L. (2018). Mapeamento tecnológico da copaíba: análise prospectiva no Brasil e no mundo. Cadernos de Prospecção, v. 11, n. 1, p. 146-157, 2018.

BARREIRO E. J.; BOLZANI, V.S. Biodiversidade: fonte potencial para a descoberta de fármacos. Química Nova, v. 32, p. 679-688, 2009.

BRANCO, R. C.; VIEIRA, A. Patentes e biotecnologia aceleram o crescimento da agricultura brasileira. Parcerias Estratégicas. Brasília, DF, 2008 Disponível em: http://200.130.27.16/index.php/parcerias_estrategicas/article/viewFile/323/317. Acesso em: 18 jun. 2020.

CARDOSO, M. C; REIS, B. L.; OLIVEIRA, D. S.; PINHEIRO-SANT'ANA, H. M. Mangaba (Hancornia speciosa Gomes) from the Brazilian Cerrado: nutritional value, carotenoids and antioxidants vitamins. Fruits, v. 69, p. 89-99, 2014.

CARVALHO, A. A.; SANTOS, P. M. A.; SANTOS, W. C. Prospecção tecnológica de Eugenia uniflora L. (MYRTACEAE). Revista Gestão, Inovação e Tecnologias, v. 6, n. 2, p. 3109-3120, 2016.

CERCATO, L. M.; WHITE, P. A. S.; NAMPO, F. K.; SANTOS, M. R.V.; CAMARGO, E. A. A systematic review of medicinal plants used for weight loss in Brazil: is there potential for obesity treatment? Journal of ethnopharmacology, v. 176, p. 286-296, 2015.

ESPACENET. International Patent Classification (IPC) system. Disponível em: https://worldwide.espacenet.com/help?locale=en_EP&method=handleHelpTopic&topic=ipc. Acesso em: 20 jun. 2020.

FLORIANO, J. F.; CAPUANO NETO, F.; MOTA, L. S. L. S.; FURTADO, E. L.; FERREIRA, R. S.; BARRAVIERA, B.; GONÇALVES, P. J.; ALMEIDA, L. M.; BORGES, F. A.; HERCULANO, R. D. Comparative study of bone tissue accelerated regeneration by latex membranes from Hevea brasiliensis and Hancornia speciosa. Biomedical Physics & Engineering Express, v. 2, p. 045007, 2016.

GELLER, F. C. TEIXEIRA, M. R.; PEREIRA, A. B. D.; DOURADO, L. P. A.; SOUZA, D. G.; BRAGA, F. C.; SIMÕES, C. M. O. Evaluation of the wound healing properties of Hancornia speciosa leaves. Phytotherapy Research, v. 29, n.12, p. 1887-1893, 2015.

LIMA, J. P. FANTEB, C. A.; PIRES, C. R. F.; NUNES, E. E.; ALVES, R. R.; ELIAS, H. H. S.; NUNES, C. A.; VILAS BOAS, E. V. B. b. The antioxidative potential and volatile constituents of mangaba fruit over the storage period. Scientia Horticulturae, v. 194, p. 1-6, 2015.

LIMA, J. P.; AZEVEDO, L.; SOUZA, N. J.; NUNES, E. E.; VILAS BOAS, E. V. B. a. First evaluation of the antimutagenic effect of mangaba fruit in vivo and its phenolic profile identification. Food Research International, v. 75, p. 216-224, 2015.

MARINHO, D. G.; ALVIANO, D. S.; MATHEUS, M. E.; ALVIANO, C. S.; FERNANDES, P. D. The latex obtained from Hancornia speciosa Gomes possesses anti-inflammatory activity. Journal of Ethnopharmacology, v. 135, p. 530-537, 2011.

MARQUES, S. P. D.; OLIVEIRA, I. R.; OWEN, R. W.; TREVISAN, M. T. S. Antioxidant Capacity, Angiotensin I Converting Enzyme (ACE) and Acetylcholinesterase Inhibition by Extracts of the Leaves and Bark of Hancornia speciosa Gomes. Human Journals, v. 4, p. 171-183, 2015.

MMA. Biodiversidade. Ministério de Meio Ambiente. Disponível em: https://www.mma.gov.br/biodiversidade.html. Acesso em: 20 jun. 2020.

MORAES, T. M.; RODRIGUES, C. M.; KUSHUMA, H.; BAUAB, T. M.; VILLEGAS, W.; PELLIZZON, C. H.; BRITO, A. R. M. S.; HIRUMA-LIMA, C. A. Hancornia speciosa: Indications of gastroprotective, healing and anti-Helicobacter pylori actions. Journal of Ethnopharmacology, v. 120, n. 2, p. 161-168, 2008.

MOTA, L. S. S.; SERUFFO, H. H. R.; ROCHA, C. A. M. Prospecção Tecnológica de Theobroma grandiflorum: mapeamento de tecnologias geradas a partir do Cupuaçu. Cadernos de Prospecção, v. 13, n. 3, p. 733-744, 2020.

MOURA, S. M. S.; SOUSA, S. R. S.; CONDE JÚNIOR, A. M. Genipa americana: prospecção tecnológica. Jornal Interdisciplinar de Biociências, v. 1, n. 2, p. 31-35, 2016.

OLIVEIRA, U.; SOARES-FILHO, B. S.; PAGLIA, A. P.; BRESCOVIT, A. D.; CARVALHO, C. J. B.; SILVA, D. P.; REZENDE, D. T.; LEITE, F. S. F. L.; BATISTA, J. A. N.; BARBOSA, J. P. P. P. et al. Biodiversity conservation gaps in the Brazilian protected areas. Scientific reports, v. 7, n. 1, p. 1-9, 2017.

PEREIRA, A. C.; PEREIRA, A. B. D.; MOREIRA, C. C.; BOTION, L. M.; LEMOS, V. S.; BRAGA, F. C.; CORTES, S. F. Hancornia speciosa Gomes (Apocynaceae) as a potential anti-diabetic drug. Journal of Ethnopharmacology, v. 161, p. 30-35, 2015.

PEREIRA, A. V.; PEREIRA, E. B. C.; SILVA JÚNIOR, J. F.; SILVA, D. B. da. Hancornia speciosa (mangabeira). In: Vieira, R. F; CAMILO, J.; CORADIN, L. Espécies Nativas da Flora Brasileira de Valor Econômico Atual ou Potencial. Brasília, DF. Ministério do Meio Ambiente, p. 12, 2016.

SOARES, F. P.; PAIVA, R.; CAMPOS, A. C. A. L.; PORTO, J. M. P.; NOGUEIRA, R. C.; STEIN, V. C. Germinação de sementes de mangabeira (Hancornia speciosa Gomes) em diferentes substratos. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, n. S2, p. pg. 1180-1182, 2008.

VALLI, M.; RUSSO, H. M.; BOLZANI, V. S. The potential contribution of the natural products from Brazilian biodiversity to bioeconomy. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 90, n. 1, p. 763-778, 2018.

WIPO. International Patent Classification (IPC). Disponível em: https://www.wipo.int/classifications/ipc/en/?. Acesso em: junho de 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Revista INGI - Indicação Geográfica e Inovação. A Revista INGI está licenciada com a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

ISSN: 2594-8288

Esta Revista é uma publicação da Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - API - www.api.org.br 

A REVISTA INGI está cadastrada nos sistemas: